Saiba a verdade

Propostas para o Rio voltar a dar certo

1. Promover a reabertura e evitar o fechamento de micro e pequenas empresas impactadas pela pandemia, por meio de um fundo garantidor de crédito da Prefeitura e da redução de alguns impostos municipais já no primeiro ano do mandato;

2. Formar e capacitar 100 mil profissionais até o fim do mandato, incluindo jovens e idosos, por meio de programas promovidos pela prefeitura em parceria com instituições públicas e privadas, focados nos setores de turismo, tecnologia, saúde, audiovisual e construção civil;

3. Com forte investimento em segurança nas áreas turísticas, atração de novos eventos e a promoção do Rio como importante destino turístico mundial, aumentar o fluxo de turistas na cidade em 2 milhões de visitantes (entre nacionais e internacionais) até 2024;

4. Em parceria com o governo federal e a iniciativa privada, revitalizar 300 mil m² de áreas degradadas da Avenida Brasil por meio da atração de novas empresas, da conclusão do BRT, e do incentivo para construção de novas moradias em seu entorno até 2023;

5. Já no primeiro ano de mandato, implantar um novo programa municipal nos moldes do Jovem Aprendiz para garantir que nossos jovens adquiram experiência profissional antes do ingresso no mercado de trabalho;

6. Modernizar o programa Rio Mais Fácil a fim de desburocratizar e simplificar os processos da prefeitura, emitindo digitalmente 100% das solicitações (até 2022) e melhorando a atratividade da cidade para investimentos e realização de negócios;

7. Já no primeiro ano de mandato, criar frentes de trabalho para a geração de emprego e renda voltados para a população que vive em nossas comunidades, com foco no empreendedorismo, na recuperação da infraestrutura local, na preservação do meio ambiente e na oferta de serviços sociais, resgatando programas como Guardiões dos Rios, Gari Comunitário e Agente Comunitário de Saúde;

8. Já no primeiro ano de mandato, implantar um programa de geração de emprego e renda voltado especificamente para as mulheres chefes de família que hoje têm dificuldade de retornar ao mercado de trabalho por conta de problemas de saúde ou em razão da falta de creches ou de ensino em tempo integral para seus filhos.