Paes vai recuperar Clínicas da Família e contratar seis mil profissionais da saúde

O candidato à prefeitura do Rio Eduardo Paes (DEM) já decidiu quais serão as primeiras medidas para melhorar a Saúde e devolver aos cariocas um serviço de qualidade. Recuperação das Clínicas da Família, normalização do abastecimento de remédios e insumos, além da contratação de profissionais são algumas das ações emergenciais.

– A Saúde é prioridade, especialmente, para a Zona Oeste e para a Zona Norte. O que nós tivemos nos últimos anos foi um desmonte das Clínicas da Família, seis mil profissionais demitidos. Vamos, de imediato, recuperar e recontratar esses profissionais, remontar essas equipes de saúde da família, normalizar o abastecimento na rede hospitalar, principalmente no Hospital Pedro II, no Albert (Schweitzer), no Rocha Faria e nas Clínicas da Família. Também vamos fazer um plano de imediato para as clínicas da família estarem prontas para vacinação contra a Covid-19 – disse Paes, durante um encontro com representantes de conselhos de saúde e sindicatos dos agentes comunitários, nesta segunda-feira, dia 5, próximo ao Hospital Pedro II, em Santa Cruz.

Na reunião, os representantes de Saúde salientaram o descaso com que a Saúde foi tratada pela atual gestão da prefeitura. Lembraram ainda que a rede foi sucateada e as equipes de atendimento básico das Clínicas da Família também não escaparam do desmantelamento.

– De quatro anos para cá, vivemos um inferno. Está tudo sucateado, não temos nada: não temos material, não temos insumos, não temos medicamentos suficientes. É muito dolorido ouvir as pessoas, que precisam de medicamentos, e não termos como ajudar. As unidades não têm número suficiente de agentes comunitários para fazerem os atendimentos nas casas, e os médicos e enfermeiros também não têm mais tempo. Está tudo abandonado – desabafou a agente comunitária de saúde Ana Brochado.

Após ouvir as queixas dos profissionais, Paes lamentou não só o sofrimento deles como também o fato de todo o trabalho realizado durante suas gestões, para a melhoria da oferta de Saúde aos cariocas, ter sido desfeito. Mas ressaltou seu otimismo de que com gestão, competência e trabalho será possível resolver os problemas da Saúde no Rio.